UPPs, Políticas Públicas e CDLRio

O Jornal Valor Econômico divulgou matéria com uma pesquisa feita pelo Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDLRio, contratada ao Instituto Brasileiro de Pesquisa Social – IBPS, visando avaliar a ocorrência ou não de melhoria das vendas do comércio legalizado em áreas próximas às UPPs. O resultado foi positivo.
 
Por outro lado, a pesquisa mostrou que em bares e restaurantes mais próximos dos locais em que antes havia liberdade para compra e consumo de drogas, o movimento diminuiu.
 
A implantação das UPPs e a atual política de segurança pública é um importante avanço, sendo necessário universalizá-las. Outro aspecto importante é haver uma preocupação relativa à geração de emprego e renda nessas regiões. O fim do “estado paralelo” gera uma queda de renda anteriormente estimulada através da “economia do tráfico”. Além disso, a formalização de atividades como energia elétrica, TV a cabo e venda de gás, que é obviamente positiva, pode gerar aumento de custo para os moradores.
 
Na mesma direção, a formalização do título de propriedade e a elevação do valor dos imóveis, por um lado, beneficiam quem já é “proprietário”, mas, por outro, aumenta também o custo de quem aluga. Além disso, a obtenção do direito de venda no mercado formal, se, por um lado, traz benefícios para o proprietário, por outro, pode ampliar a desigualdade do ponto de vista territorial na metrópole carioca.
 
Recentemente, lendo um artigo sobre políticas metropolitanas, vi ressaltada a questão de que uma cidade inclusiva leva à inovação e que a segregação leva a conflitos. Por esse motivo, acho importante avançarmos em políticas que, ao lado das UPPs, possam gerar melhorias do ponto de vista da diminuição da desigualdade e da qualidade de vida em toda metrópole carioca.

UPPs, Políticas Públicas e CDLRio
Compartilhe:
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailFacebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail