Porto do Açu: boa ou má notícia?


Hoje, o Jornal do Commercio publicou que as empresas do Grupo EBX tiveram boa valorização na Bolsa ontem. Um dos motivos foi a possibilidade de as empresas Vale Gerdau, CSN e Usiminas formarem um consórcio para comprar o Porto do Açu.
 
Para o Grupo EBX, pode ser uma boa possibilidade, pela capitalização que pode realizar. Para as empresas compradoras também, pois as obras estão avançadas e o Porto tem competitividade.
 
Isso também é vantajoso para o Rio de Janeiro? Talvez não. O Porto do Açu tem potencialidades, segundo especialistas, para ser a médio e longo prazo o maior complexo portuário industrial do Brasil. Isso é importante para o ERJ, pois ainda é necessário ampliar a densidade produtiva de nossa região. Para as regiões Norte e Noroeste Fluminense também, vide, por exemplo, os maus resultados no IDH que hegemonicamente os municípios dessas regiões tiveram.
 
As empresas citadas têm seu foco em venda de commodities e podem utilizar o Porto somente para exportação de minério. Portos de exportação de minério tendem a gerar muito pouco valor agregado.
 
Por outro lado, complexos portuários industriais, como pode ser o Porto do Açu, tendem a gerar agregação e valor, pela atração de indústrias para a sua retroárea.
 
Dessa forma, pode ser um bom negócio para essas empresas, mas não para o Rio de Janeiro. A transformação do Açu no principal complexo portuário industrial brasileiro, desde que feita com planejamento, organização de adequada infraestrutura, preservação ambiental e respeito pela população existente na região, pode ser uma ótima janela de oportunidade para o ERJ.
 
Mauro Osório – Economista

Porto do Açu: boa ou má notícia?
Compartilhe:
FacebooktwitterredditpinterestlinkedinmailFacebooktwitterredditpinterestlinkedinmail