Emprego no Rio de Janeiro: primeiro semestre de 2015

Foram divulgados, na segunda semana de julho, os dados do emprego formal para o mês de junho e o primeiro semestre do ano.

No primeiro semestre, o Estado do Rio de Janeiro teve um desempenho particularmente ruim. Apresentou uma perda de empregos de -80.247, superior inclusive à ocorrida no Estado de São Paulo, de -73.056. Isto deve ter decorrido do peso da Petrobras na economia Fluminense, do fato de o emprego temporário no comércio aumentar em maior dimensão no ERJ a cada final de ano e, por conseguinte, impactar mais negativamente o emprego no início do ano.

Além disso, no primeiro semestre, ocorreu uma perda significativa de empregos especificamente em Itaboraí, de -8.325 empregos.

No mês de junho, no entanto, o desempenho no Estado do Rio de Janeiro foi menos pior do que a média brasileira. A perda de empregos no ERJ foi de -7.619, contra uma perda no Estado de São Paulo de -52.286 e no total do país de -111.199.

Como uma primeira análise, podemos apontar que inicialmente a crise impactou mais o Estado do Rio de Janeiro do que o total do país, no entanto, nos meses de maio e junho, o impacto da crise no Brasil foi maior do que no Rio.

Isto deve ter ocorrido pelo fato de que o setor mais atingido tem sido o da indústria de transformação que tem um peso maior no país do que no Rio.

Com relação ao Rio de Janeiro, cabe destacar que temos informações de que a Petrobras está transferindo muitas atividades de Macaé para Vitória, no Espírito Santo. Acho que isto deve ser acompanhado e negociado com a Petrobras.

 Confira os dados das tabelas abaixo:

  Mauro Osorio – Economista e Consultor do CDLRio

Emprego no Rio de Janeiro: primeiro semestre de 2015
Compartilhe:
FacebooktwitterredditpinterestlinkedinmailFacebooktwitterredditpinterestlinkedinmail